JARDINAGEM

Para ampliar clique na mesma foto na Lepidopterófila / ameçadas
Mimoides lysithous harrisianus sobre Lantana camara

Passatempo, muito comum na Europa, EUA e Japão, que tem encontrado muitos adeptos é o de observar borboletas, nos mesmo moldes que já são conhecidos os observadores de pássaros.  No entanto para se observar borboletas, estas não costumam parar em qualquer lugar, normalmente uma borboleta só não está voando quando está se alimentando ou se recolhendo para "dormir".  Diversas espécies de borboletas se alimentam de substâncias dissolvidas no solo, ou do sumo de material orgânico em decomposição, mas muitas são as que buscam alimento nas flores.  Desse modo para possibilitar a observação desses insetos uma técnica específica de jardinagem começou a ser desenvolvida:  O cultivo de plantas para atrair borboletas.
O mais importante nesse caso é a escolha de plantas que já sejam conhecidas por atrairem diversas borboletas.   Inclusive para manter as borboletas no ambiente é importante não só o cultivo de plantas cujas flores sejam atrativas para o adulto, como também o cultivo das plantas-alimento das larvas dessas borboletas, com isso proporciona-se a formação de uma população residente, o que facilita amplamente a observação.
Nós da LB estamos primeiramente relacionando algumas sugestões sobre as principais plantas-alimento dos adultos.  Nem sempre são as flores mais belas ou mais famosas que são as mais indicadas.   Determinadas flores tem suas pétalas distribuidas de forma tão intrincada que geralmente são visitadas apenas por vespas ou outros insetos mais robustos.   Segue-se assim uma lista ilustrada de plantas que apresentam flores que tem néctar e pólen, e ainda estrutura morfológica ideais para servirem de alimento para lepidópteros:

Obs: É importante ressaltar que a simples presença de apenas uma dentre qualquer das plantas aqui relacionadas não será uma garantia que QUALQUER borboleta passante irá se alimentar nas suas flores.  Isso se dá pelo fato de certas borboletas darem preferência a flores de uma determinada cor, e essa preferência varia, geralmente de acordo com a família do inseto.  Portanto o melhor resultado é obtido com a mescla de diversas dessas plantas no mesmo ambiente.


Fotos:  obtidas no horto do borboletário de Seropédica, na propriedade do Prof. Luiz Soledade Otero.
Texto:  baseado em informações obtidas com o Prof. Luiz Soledade Otero.
Clique para ampliar - Photo by Felipe C. Miranda Clique para ampliar - Photo by Felipe C. Miranda

Caesalpinia pulcherrima (L.) Sw. - "flamboianzinho"

Esta planta da famíliadas leguminosas é um arbusto que pode chegar a 4 metros de altura.  Necessita de sol pleno, no mínimo por quatro horas diárias.  Mais adaptada ao clima quente e úmido, gosta de água, mas não de solo encharcado, podendo receber água duas vezes por semana.  Se adapta bem em solo arenoso.



 
 
Clique para ampliar - Photo by Felipe C. Miranda Clique para ampliar - Photo by Felipe C. Miranda

Hibiscus rosa-sinensis L.- "hibisco"

Esta espécie da família das malváceas também pede ambiente de sol pleno e gosta de clima quente e úmido.  Valem todas as indicações vistas acima,  para o "Flamboianzinho".  Apresenta enorme variação, com flores que podem variar do branco ao vermelho intenso.



 
 
Clique para ampliar - Photo by Felipe C. Miranda
Clique para ampliar - Photo by Felipe C. Miranda

Lantana camara L.- "cambará"

Este belo arbusto da família das verbenáceas também gosta de sol pleno e suas flores são as que atraem a maior variedade de espécies de borboletas.  Em jardinagem, costuma ser podada de modo a formar cerca-viva.  gosta de solo rico em matéria orgânica e argiloso.  Gosta de água mas não resiste a solo encharcado.  é um arbusto que pode chegar a dois metros de altura e floresce quase o ano inteiro.



 
 
Clique para ampliar - Photo by Felipe C. Miranda Photo by Felipe C. Miranda

Turnera ulmifolia L. - "flor-do-guarujá / chanana"

Este pequeno arbusto da família das turneráceas também é adaptada ao sol forte, gostando de clima quente e úmido.  É uma planta de vida longa, floresce quase o ano inteiro e se multiplica por sementes. gosta de solo arenoso



 
Clique para ampliar - Photo by Felipe C. Miranda Clique para ampliar - Photo by Felipe C. Miranda

Tithonia speciosa Hook ex Gris. - " margarida-mexicana"

Este arbusto da família das compostas é originário da América do Norte, mas se adaptou plenamente ao clima do Brasil, embora se desenvolva melhor em regiões de clima ameno.  É uma planta anual, precisando ser replantada anualmente ou a cada dois anos, embora se multiplique espontataneamente por sementes, que caem ao solo tão logo a flor fecundada seque ese vire para baixo, liberando as sementes.



 
 
Clique para ampliar - Photo by Felipe C. Miranda Clique para ampliar - Photo by Felipe C. Miranda

Duranta repens L. - "Duranta"

Arbusto lenhoso, que ocorre do México ao Brasil, com ou sem espinhos e folhas coreáceas e serrilhadas.  É planta rústica, heliófila, pouco exigente quanto ao solo.  Floresce na primavera e no Verão, e seus frutos são apreciados por pássaros.



 
Photo by Felipe C. Miranda Clique para ampliar - Photo by Felipe C. Miranda

Verbena jamaicensis L. - "Gervão"

É um subarbusto, que vegeta em diversas partes do Brasil, e cujas folhas são opostas, de formato oval e recortadas nas bordas,  exalando fraco, porém agradável aroma. Crescem em solos arenosos e são encontradas principalmente nos estados do Rio de Janeiro e São Paulo.  É possível também encontrar algumas outras variedades em lugares pantanosos, podendo ocorrer na Bahia, Espirito Santo, Goiás, Minas Gerais e Mato Grosso.  É um vegetal heliófilo.